ACOTERRA assina Termo de Colaboração com Secretaria de Educação do Estado da Bahia para garantir apoio técnico-financeiro à Escola Família Agrícola do Sertão

A ACOTERRA- Associação Comunitária Terra Sertaneja- CNPJ nº 08.656.766/0001-30 aos dias 01/06/2021 assinou o termo de colaboração que estabelece parceria com a Secretaria de Educação do Estado da Bahia para execução do Programa Estadual de Apoio Técnico Financeiro às Escolas Família Agrícola – EFA e às Casas Familiares Rurais – CFR, vinculado ao Plano Plurianual 2020 a 2023, por meio do do Programa 306 – Educação.

A ACOTERRA dispõe em anexo o Termo de Colaboração, em cumprimento ao princípio da transparência.

ACOTERRA assina Termo de Colaboração com Secretaria de Educação do Estado da Bahia para garantir apoio técnico-financeiro à Escola Família Agrícola do Sertão

A ACOTERRA- Associação Comunitária Terra Sertaneja- CNPJ nº 08.656.766/0001-30 aos dias 01/06/2021 assinou o termo de colaboração que estabelece parceria com a Secretaria de Educação do Estado da Bahia para execução do Programa Estadual de Apoio Técnico Financeiro às Escolas Família Agrícola – EFA e às Casas Familiares Rurais – CFR, vinculado ao Plano Plurianual 2020 a 2023, por meio do do Programa 306 – Educação.

A ACOTERRA dispõe em anexo o Termo de Colaboração, em cumprimento ao princípio da transparência.

ACOTERRA DIVULGA RESULTADO FINAL DO PROCESSO DE SELEÇÃO PESSOAL – Edital nº 003/2019

Conforme firmado no Edital de Convocação para Processo de Seleção
Pessoal ao cargo de Agente Comunitário Rural- ACR, Convênio 463/2018,
Bahia Produtiva- CAR, lançado no dia 25 fevereiro de 2019, a presidente da
ACOTERRA no uso de suas atribuições, vem por meio deste ofício, anunciar
que o candidato selecionado para ocupar a vaga de ACR foi,
Magno
Nascimento Carvalho.
A seleção se deu por meio de entrevista pessoal,
aplicada pela Comissão Permanente de Seleção Pessoal, aos dias 13/03/2019
as 8:00 na sede da ACOTERRA.

 

Resultado final Seleção de ACR

Acoterra divulga resultado parcial do processo de seleção de pessoal – edital 003/2019

 

Edital nº 003/2019
RESULTADO PARCIAL DO PROCESSO DE SELEÇÃO PESSOAL


Conforme firmado no Edital de Convocação para Processo de Seleção
Pessoal ao cargo de Agente Comunitário Rural- ACR, Convênio 463/2018,
Bahia Produtiva- CAR, lançado no dia 25 fevereiro de 2019, a presidente da
ACOTERRA no uso de suas atribuições, vem por meio deste ofício, anunciar
os selecionados na primeira etapa de seleção e convoca-los para a segunda
etapa, sendo esta a entrevista, que será realizada as 8:00 do dia 13 de março
de 2019 na sede da ACOTERRA, localizada na Rua Hélcio Cardoso de Matos,
nº 31, Centro de Monte Santo- BA. O não comparecimento no processo de
entrevista na data e horário acima citados, resultará na desclassificação do
candidato.

Resultado Seleção de ACR PDF

A alarmante situação de contaminação por agrotóxicos em comunidades sertanejas

É fato que os agrotóxicos são utilizados de forma desmesurada e inconsequente pelos grandes produtores rurais em culturas extensivas de todo tipo, mas o que assusta é a disseminação do uso destes pro dutos entre os pequenos agricultores e a situação de contaminação de comunidades rurais.

Sem título

Em investigações recentes feitas por estudantes de Escolas Famílias Agrícolas da região semiárida do norte da Bahia foi encontrado um conjunto de casos de contaminação por agrotóxicos. No município de Araci uma pesquisadora constatou a alarmante situação de pequenos agricultores da comunidade sertaneja de Tapuio, onde o uso de agrotóxicos em pequenas lavouras está já culturalmente consolidado. O herbicida Tordon é aplicado em todo tipo de plantio, gerando a contaminação dos alimentos, mas, sobretudo, dos agricultores que os produzem, pelo manuseio inadequado destes agentes químicos. A pesquisadora chegou a constatar casos de contaminação de alta gravidade, que chegaram a gerar sequelas permanentes ou até levar alguns agricultores à óbito. Pelas conclusões do trabalho o problema se agrava pelo fato de boa parte das comunidades estarem sob influência do modelo dominante de agricultura, utilizando de forma desmesurada tais produtos tóxicos sem ter conhecimento de seus riscos. Já no município de Ponto Novo uma pesquisa recente constatou que o nível elevado de doenças respiratórias e de tumores prevalentes na população das comunidades sertanejas pode estar diretamente relacionado ao despejo de agrotóxicos por via aérea. Na localidade há um distrito de irrigação alimentado pelo açude do município, que no projeto original desenvolveria a produção das comunidades sertanejas, mas que acabou sendo utilizado em sua maior parte para alimentar o cultivo extensivo de banana por uma grande empresa de fruticultura. Os agricultores relataram a intensa aplicação de agrotóxicos nos bananais adjacentes às suas comunidades, e os efeitos imediatos e duradouros gerados na saúde da população, como irritações nos olhos, pele e vias respiratórias, e os casos de câncer que começaram a surgir após a instalação da empresa.

As pesquisas refletem uma situação grave de contaminação que pode estar presente em todo o território sertanejo, um problema de saúde pública que avança de forma silenciosa, pelo descaso das autoridades em enfrentar a situação, para não contrapor os interesses de grandes produtores da região. A população é quem acaba pagando a conta pelas externalidades geradas pelo agronegócio e seus insumos tóxicos, pela água, solo e ar contaminados e pela degeneração da saúde da população das comunidades e dos que consomem os alimentos.

Aprimoramentos necessários na suinocultura da EFASE

IMG_20181018_105509_Easy-Resize.com

Por Valdir Santana

O manejo sanitário na suinocultura da EFASE precisa passar por algumas mudanças com o objetivo de buscar o melhor desenvolvimento dos animais.

Realizar a limpeza diariamente dos comedouros, porque há uma acúmulo de restos de rações, que poderia ser evitando se houvesse uma higienização com mais eficiência por parte dos educandos nos comedouros. Para que dessa forma possa evitar, que surja a incidência de bactérias e consequentemente possa afetar o sistema digestivo dos animais e que venha a causar alguma doença.

A pocilga da EFASE não deveria ser tão perto dos demais outros setores, porque essa proximidade não é adequada e podem surgir alguns tipos de doenças nos suínos e também causar estresse aos animais.

Sabendo que os suínos são animais dos mais sensíveis ao barulho, atrás apenas da ave de postura (galináceos), o setor da forrageira não deveria ficar tão perto da pocilga, para evitar o estresse dos animais.

Uma forma de evitar, o acúmulo de restos de ração no comedouro é balancear a quantidade de ração por animal e consequentemente realizando essa prática ira evitar o desperdício e possíveis doenças.

Para evitar o estresse dos animais com o barulho da forrageira, a única solução é construir outro setor com a distância recomendada para não estressar os animais, para que dessa forma possa colocar a forrageira.

Assim como na pocilga, teria que haver uma distância recomendada de um setor para o outro, dessa forma possibilitando um melhor manejo sanitário e o bem-estar dos animais.